Curiosidades sobre o Natal

O Natal celebra o nascimento de Jesus e é a principal comemoração católica. Milhões de pessoas se reúnem todos os anos, para reverenciar o nascimento do Salvador, a fraternidade, a amizade e o amor ao próximo, além, é claro, de trocar presentes.

Aqui você fica por dentro de fatos e curiosidades sobre esta festa. Pronto? Então, vamos lá! 

O Natal, em sua origem, era uma festa pagã

A palavra Natal tem origem latina e significa renascer. Durante o Império Romano haviam celebrações no final de dezembro, relacionadas ao solstício de inverno, que é a noite mais longa do ano. A festa, que não tinha nada relacionado ao nascimento de Jesus, buscava garantir a fertilidade da terra e o renascimento do Sol depois da noite mais longa. Posteriormente, as homenagens foram direcionadas ao deus da luz, Mitra.

O Natal no Cristianismo

Não há nenhuma referência concreta em relação à data de nascimento de Jesus. O dia 25 de dezembro aparece pela primeira vez aconteceu em 354 dC, com a publicação do calendário ilustrado Cronógrafo de 354. Segundo estudiosos, esta data, muito provavelmente, teria sido sugerida pelo Papa Júlio I. Outros acreditam que foi o Imperador Constantino (306 a 337), responsável pela introdução do cristianismo como religião em Roma, que fixou o 25 de dezembro como data do nascimento de Jesus.

O Nascimento do Jesus

A data exata do nascimento de Jesus, como vimos, é incerta. Existem informações a respeito da sua existência, de sua crucificação e morte, durante a páscoa judaica. Sobre o seu nascimento é correto afirmar que ele se deu durante o reinado de  Herodes I. Desta forma, a própria anotação dos séculos tendo como referência o nascimento de Jesus (a.C. e d.C.) estaria errada, já que Herodes I morreu em 4 a.C.

Os três reis magos

O Evangelho de Mateus narra a visita dos três reis magos à manjedoura onde teria nascido Jesus. Eles levavam ouro, que remete à ideia de realeza; incenso, que simboliza a espiritualidade e mirra, que indica imortalidade. Gaspar, Baltazar e Belchior, os três reis magos, não eram judeus e isto é importante simbolicamente, pois foram os primeiros pagãos a reconhecer Jesus como Rei e Deus, descendente de Davi.

O Papai Noel

Papai Noel (ou Santa Claus), tem sua origem em São Nicolau (que é padroeiro da Rússia, Noruega e Grécia). O Santo teria feito o milagre de ressuscitar três crianças, onde hoje é a Turquia (em 280 dC). Assim o seu nome foi associado à infância, à proteção e ao carinho com os pequenos. Segundo o antropólogo Claude Levi-Strauss, Papai Noel cumpre uma função simbólica destacada, ao associar que recompensas (presentes) sempre advêm de bons comportamentos e atitudes.

As renas de Papai Noel

Papai Noel “mora” no Polo Norte, segundo algumas tradições, juntamente com a Mamãe Noel, alguns elfos (seres mitológicos) e renas. Alguns acreditam que, na realidade, a sua casa seja na Lapônia, no norte da Finlândia e se chama, por lá, Joulupukki. Em português, as renas se chamam: Corredora, Dançarina, Empinadora, Raposa, Cometa, Cúpido, Trovão, Relâmpago e Rodolfo. A Corredora foi a líder do trenó do Papai Noel por muito tempo, sendo depois substituída por Rodolfo.

A árvore de Natal

O culto às árvores, como símbolo da vida que renasce, está presente em várias culturas e tradições. A decoração das árvores de Natal apareceu pela primeira vez na Alemanha, no século XVI. É costume católico montar a árvore de Natal no dia 6 de dezembro, Dia de São Nicolau e desmontá-la no dia 6 de janeiro, dia dos três reis magos. Em 2019, no Kempinsk Hotel Bahía, na Espanha, foi montada a árvore de Natal mais cara do mundo. Avaliada em 60 milhões, ela foi decorada com diamantes, pedras preciosas, frascos de perfume e bolsas de grife, entre outros.

O Presépio de Natal

Um dos principais símbolos do Natal, o Presépio teria sido montado pela primeira vez por São Francisco de Assis em 24 de dezembro de 1223. Ele organizou um presépio vivo em Greccio, na Itália que, posteriormente, foi retratado em um quadro do pintor Giotto, no século XIII. O quadro está exposto na Basílica de São Francisco de Assis, na Itália. Em Belo Horizonte/MG, está um dos mais famosos presépios do Brasil. Tombado pelo IPHAN –  Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Presépio do Pipiripau , de autoria do artista Raimundo Barreto, conta a história de Cristo, do nascimento à paixão e pode ser visitado no Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais.

Anterior

Curiosidades sobre o Carnaval

Curiosidades sobre Chernobyl

           
Próximo

Deixe um comentário